quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Os sintomas e tratamentos da AIDS

Em 2017, a doença vitimou 940 mil pessoas no mundo. No Rio Grande do Sul, foram detectados 18.901 no mesmo período



A Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS) é uma doença grave causada pelo vírus HIV. Conforme dados do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), em 2017, 940 mil pessoas morreram por doenças relacionadas ao mal em todo o mundo. No Rio Grande do Sul, foram detectados 18.901 no mesmo período. Em 1º de dezembro é comemorado o Dia Mundial de Luta contra a AIDS, criado com o intuito de estabelecer uma troca de informações e experiências sobre o assunto.
Segundo Guilherme Domingues, infectologista do Hospital Universitário de Canoas, administrado pelo Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP), a AIDS é o estágio mais avançado da infecção pelo vírus HIV, ou seja, uma pessoa pode ser portadora do vírus HIV e parecer saudável. “Muitos pacientes descobrem a doença no estágio avançado, o que dificulta, em muitos casos, a recuperação total do paciente. O tratamento oferecido hoje possui poucos efeitos colaterais e deve ser individualizado conforme o perfil do paciente”, explica.

De acordo com o infectologista, os sintomas iniciais de infecção pelo vírus são a febre e as linfonodomegalias, que são o aumento do tamanho dos linfonodos, nos vasos linfático. Perduram cerca de 10 a 30 dias e podem ser confundidos com outras enfermidades. “Os primeiros sinais da AIDS são emagrecimento, febre noturna, diarreia crônica, cansaço, tosse persistente, candidíase oral e vaginal, inchaço dos gânglios linfáticos e surgimento de infecções por herpes zoster (cobreiro)”, esclarece.
Contágio e tratamento
Domingues salienta que o contágio é feito quando o individuo entra em contato direto com secreções contaminadas, podendo ser através da amamentação, gestação, relações sexuais sem proteção, compartilhamento de seringas para o uso de drogas injetáveis ou o contato direto com o sangue de uma pessoa que já seja portadora do vírus HIV positivo. “Beijos, abraços e apertos de mão não transmitem a doença por isso não é necessário manter qualquer tipo de isolamento com a pessoa infectada”, orienta.

O tratamento da AIDS é feito com Antirretrovirais, antigamente chamados de “coquetel de medicamentos”. Além dele, o paciente deverá fazer regularmente exames de sangue que avaliam, dentre outras coisas, a imunidade, quantidade de vírus no sangue, função dos rins, hepática e anemia. “Este cuidado deve ser feito por toda a vida, pois até o momento o tratamento não consegue eliminar completamente o vírus do HIV do sangue”, diz Domingues.
O médico destaca que, felizmente, é possível obter acesso ao tratamento da doença gratuitamente através do SUS. “Espera-se que em um futuro próximo a doença tenha cura”, conclui.

GRUPO GAMP
O Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP) atua desde 2006 com gestão de saúde, prestando serviços junto a governos municipais e estaduais. A organização se destaca pela gestão transparente e pela capacidade de administração de unidades de saúde e recursos públicos com responsabilidade. Com sede na capital paulista, atualmente está presente no interior de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

domingo, 8 de maio de 2016

Antes da Internet, A de Antônio já fazia poemas de sexo virtual

Pois é. Tem tudo a ver o primeiro livrinho de poemas do AdeAntônio a que deu o título de Pedras que Flutuam. Como todo jovem, e numa época sem internet, sem as redes sociais, os iniciantes poetas só tinham mesmo nas poesias impressas em jornaizinhos ou livrinhos pra seus instantes de viver suas fantasias e emocionar-se com seus desejos não encontrados na realidade do dia a dia.
Eram assim os momentos daquela década, sem os feicebuques, uatizapis, badus .... o que se explica rapidamente com os versos finais de um dos poemas do livrinho:
"... Como é que se sai ´
sem chegar " 

Dá ou não dá a entender que a busca de emoções e prazer num relacionamento em busca de sensualidade apenas, sem compromisso futuro e até mesmo sem realização de contato pele com pele, apenas virtual mesmo, tem duração passageira e por isso, sem levar a consequências de encontro real, leva o praticante do sexo virtual precisando aprender a sair dessas situações deixando de lado a vontade desses desejos... e SAIR de tudo isso, sem CHEGAR ?

Confirme vendo mais comentário do autor e a letras dos poemas que aparecem na página do Vídeo

com a letra dos poemas com a música de Aníbal, em SEXO RADIANTE 

A de Antônio e seu livrinho PEDRAS QUE FLUTUAM.

sábado, 19 de março de 2016

Médico gaúcho representa o Brasil em congresso sobre saúde feminina no Canadá

     Na ocasião, serão apresentadas pesquisas pioneiras na validação da ecografia 3D no 
exame de reserva ovariana, apontando melhores resultados para a fertilização artificial.
     Serão três os trabalhos apresentados pelo médico, professor da Universidade Federal 
do Rio Grande do Sul e diretor do Centro de Oncofertilidade da INSEMINE, João Sabino, 
no Congresso 2016 SRI do Canadá. Os trabalhos foram feitos em parceria entre a 
clínica INSEMINE e a UFRGS.
     As pesquisas são pioneiras na validação da ecografia 3D, comprovando que a 
ecografia 3D tem a mesma eficácia que a 2D, quanto à análise dos folículos no interior 
do ovário feminino no exame de reserva ovariana. Isso representa um avanço 
científico que traz consigo melhores resultados para a fertilização artificial.
     A reserva ovariana é a análise na quantidade dos folículos existentes nos ovários da 
mulher, que tem seu número ápice atingido na infância, com altos níveis de folículos até 
os 20 e poucos anos de idade. Conforme a mulher vai envelhecendo, o número de 
folículos, responsáveis por conter os óvulos só tende a diminuir, até que a ela 
atinja a menopausa, resultando nas sabidas dificuldades para engravidar.
     Segundo Sabino, com o atual e comum adiamento da maternidade, os casais 
que desejam ser pais precisam estar conscientes sobre o declínio na qualidade dos óvulos 
e da fertilidade, relacionados diretamente à idade da mulher. "A idade da paciente é 
basicamente o que importa no quesito fertilidade natural, mais do que alterações
nos exames médicos, questões genéticas ou alterações hormonais. O que vai indicar a
fertilidade na mulher tende a ser sempre a idade que ela tem", explica Sabino.
     Esse ano, o Congresso SRI 2016 no Canadá acontece entre os dias 16 e 19 de março e 
contém uma forte equipe de professores e médicos que objetivam o engajamento e 
interesse cada vez maior em pesquisas que otimizem os estudos acerca da saúde feminina 
e reprodutiva.

segunda-feira, 14 de março de 2016

É importante fazer uma distinção entre gostar e amar.

SUTILEZAS DO AMOR

POR ARMANDO SÉRGIO

Os olhares se cruzaram, as batidas do coração atropelaram o compasso, os hormônios aqueceram os corpos e o ritual de conquista terminou com o início do namoro que é um período para os dois se conhecerem: hábitos, defeitos, qualidades, preferências, temperamento, personalidade, compatibilidade sexual.  Entre beijos e amassos o casal vai se enamorando ou, às vezes, não dá certo.  

É importante fazer uma distinção entre gostar e amar. Eu gosto da laranja porque ela me satisfaz. Quando vira bagaço jogo-a no lixo. Amar já é um sentimento onde a minha felicidade é a felicidade do meu parceiro. 

No gostar penso na minha satisfação, enquanto que no amar o que importa é fazer o outro feliz. Só quem ama é capaz de sacrificar-se pelo outro. E o amor exige sacrifícios. Compreender o outro, abrir mão de princípios, mudança de comportamentos. 
Quando o namoro fica só no gostar o tempo se encarrega de desfazer o encantamento do primeiro encontro e não dá para encarar um casamento. 

Durante o namoro ou noivado quando os dois brigam, vai cada um para sua casa e o Dr. Travesseiro se encarrega de esfriar os ânimos. Ao acordarem bate um mistura de saudade e medo de que tudo tenha terminado. Ao fazer as pazes parece que o amor fica mais gostoso. Enquanto que no casamento é sofá nele e não tem Dr. Travesseiro porque acabam se esbarrando no corredor ainda com os nervos à flor da pele. 

Quando se amam os desentendimentos funcionam como o tempero do amor. É o confronto das diferenças. E se o amor é maduro são momentos para os dois avaliarem o relacionamento. O importante é o respeito mútuo e a atitude de compreensão e perdão diante do erro do outro. Casamento supõe renúncias, saber ceder, caminharem juntos enfrentando as tormentas e curtindo os momentos felizes. Se um apenas cede para manter a paz vira exploração e o amor acaba. 

Daí o amor neurótico onde o outro é apenas um objeto para minha satisfação pessoal. É sempre importante frisar que namoro e noivado são períodos importantes para o casal se conhecer e tomar a decisão de viverem juntos e construírem uma família.

Tive um amigo que dizia que o amor é como uma bicicleta. Se você parar de pedalar ela cai. Da mesma forma o casal não deve permitir que a rotina tome conta da vida a dois. Com o passar dos anos os dois tornam-se “cúmplices”: um advinha os pensamentos e os desejos do outro.


Jacques Maritain, filósofo francês, e sua esposa Raissa resolveram testar a importância da vida sexual no casamento. Decidiram ficar um ano sem fazer sexo. Com cinco meses estavam tensos e os desentendimentos eram constantes. Ao voltarem atrás a harmonia tomou conta da vida do casal. 

domingo, 13 de março de 2016

Deusas e capachos: as mulheres de Picasso uma relação de amor e conflito

O projeto Viajando com Arte, que há dez anos é comandado pelas historiadoras e apaixonadas por viagens Mylene Rizzo eClarisse Linhares, vai retomar um seus alicerces iniciais: palestras sobre arte, história e viagens.
"Vamos iniciar um ciclo de palestras mensais, encontros que buscam um enfoque cultural leve recriando um espaço de relacionamento e discussão", ressaltam Mylene e Clarisse.
O primeiro encontro tem como tema a biografia de Picasso, sua arte e seu relacionamento com várias mulheres, bem no clima do mês de março.
Intenso, inconstante, obsessivo e apaixonado, Pablo Picasso declarou que para ele só existiam dois tipos de mulheres: "deusas e capachos". Ele teve dezenas de amantes e chegou a oficializar dois casamentos. Possivelmente, o relacionamento intenso com o artista também teve efeito devastador sobre suas musas. Das sete mulheres mais importantes de sua vida, duas se suicidaram, duas enlouqueceram e ainda uma outra morreu de causas naturais depois de apenas quatro anos de relacionamento com o espanhol.

Viajando com Arte – Encontros 2016
As Mulheres de Picasso 
com Mylene Rizzo e Clarisse Linhares  (Foto: Divulgação)

As Mulheres de Picasso
Dia 15 de março, terça-feira, às 20h, ingressos a R$ 60.
Rua Félix da Cunha, 1009, Porto Alegre.
Reservas com Magda - 51 9967 4581
ou contato@viajandocomarte.com.br


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Sexóloga Franciele Minotto, do Sexo Lacrado, explica as consequências da falta de prevenção no Carnaval

Com o crescimento da transmissão de AIDS durante o período comemorativo, a Doutora fala sobre a importância de se prevenir e explica como não usar camisinha pode afetar na sua vida.

Desde o final do mês de Janeiro até metade de Fevereiro é o período em que se comemora o Carnaval e onde acontecem diversas festas, blocos de rua e muito comum também ter o crescimento da prática de sexo casual, o que leva o governo a intensificar sua campanha de prevenção durante esse período, com distribuição de camisinhas nas festividades e dando maior ênfases em suas propagandas.

Apesar das campanhas para a prevenção, ainda existem pessoas que não se previnem e acabam contraindo diversas DSTs. No ano de 2015 o Brasil bateu recorde de pessoas em tratamento contra a AIDS, apenas no ano passado, comparado ao ano anterior, o crescimento foi de 13% e já existem 455 mil pessoas que fazem tratamento para o vírus da imunodeficiência, o que pode ser considerado um avanço, pois mais portadores estão se tratando, ao mesmo tempo que temos o lado negativo do número grande de pessoas que ainda se contaminam.

Muitas pessoas ainda acreditam que a camisinha previne apenas da AIDS e muitas vezes se sentem imunes de adquirir o vírus, o que é um erro, pois além dela, existem diversas doenças que podem ser transmitidas, assim como a Doutora Franciele Minotto do Sexo Lacrado lembra: 

“O sexo casual desprotegido pode transmitir HIV, hepatite B, hepatite C, sífilis, gonorréia e clamydia trachomatis, além do herpes genital e HPV. O uso de preservativo protege contra a transmissão de HIV, hepatite B e C, sífilis, Gonorréia, Clámydia trachomatis, mas o herpes genital e HPV podem estar em áreas não cobertas pelo preservativo, podendo penetrar na pele do parceiro que apresenta microfissuras (cortes microscópicos). Estima-se que a proteção do preservativo contra a transmissão do HPV e herpes genital seja no máximo 70%.  Dessa forma, apenas usar preservativo não é suficiente para prevenção dessas duas doenças virais sexualmente transmissíveis.Além do sexo sem proteção, a troca de saliva no beijo pode transmitir o vírus Epstein Bar, responsável pela Mononucleose infecciosa, e a herpes labial, além de estar relacionado a transmissão de bactérias que causam cárie, candidíase oral, sífilis oral e gonorréia oral.”

Quando questionada sobre a possibilidade de existir um modo eficaz de se prevenir de qualquer meio de contaminação, a Sexóloga dá a dica que “não existe método que tenha 100% de proteção contra HPV e herpes genital. O sexo tântrico e o sexo virtual não apresentam contato sexual efetivo, não havendo risco de transmissão de DST”. Também menciona os problemas de sexo casual sem prevenção para as mulheres que podem ficar gravidas, além de existir a ressaca moral, pois no carnaval as pessoas podem exagerar na bebida e acabar se arrependendo de seus atos no dia seguinte.

É importante frisar sobre as mulheres, afinal, algumas ainda acreditam que a obrigação de levar o preservativo para todos os lugares é do homem. A Sexóloga acredita que “as mulheres não podem esperar a iniciativa do homem para prevenção, mulheres modernas e conscientes preocupam-se em ter um preservativo feminino ou masculino sempre a mão. Sexo é bom, mas sexo seguro é ótimo”.

Toda relação sexual deve ser feita com o uso de preservativos, mas caso ocorra algum acidente “existe um coquetel de tratamento pós-exposição a relações sexuais potencialmente perigosas, fazendo parte desse coquetel existem remédios contra o HIV, clamydia, sífilis, gonorréia e gravidez indesejada. O melhor a fazer é procurar um médico e informar-se sobre essas medicações e fazer os exames necessários”. 

Sobre a Sexo Lacrado

O mundo do sexo mudou muito nos últimos tempos, os casais estão sempre preocupados com a vida sexual e com o bem-estar da relação. O mundo corporativo e competitivo tomam o tempo do lazer e divide as tarefas das mulheres entre cuidar dos filhos, do marido e de si mesma. Enquanto os homens, estão cada vez mais presentes nas tarefas do lar e mais preocupados com a saúde e vaidade. Pensando nesse mundo moderno de mulheres e homens com garra e paixão, que precisam de praticidade para salvar um tempo para curtir a vida é que o Sexo Lacrado traz um novo conceito para os sexshops: as assinaturas para casais.
O sexolacrado.com, oferece diversos produtos para aprimorar as experiências sexuais e apimentar qualquer relação. Possui produtos para tudo relacionado ao sexo: acessórios eróticos, cosméticos, lingeries sensuais, fantasias, vibradores de diversos modelos, enfim, tudo para garantir uma enorme sensação de prazer e erotismo. O Sexo Lacrado é a mais nova empresa do ramo de produtos de sexshop no mercado brasileiro com a experiência e conhecimento da já consagrada médica e sexóloga Dra. Franciele Minotto, responsável pela seleção de produtos e dos conteúdos exclusivos do nosso blog, além de ser quem está por trás das nossas redes sociais no Facebook, Instagram, Twitter, Google+ e Youtube.
Nosso objetivo é trazer comodidade para seu relacionamento e ainda mais prazer para suas fantasias e desejos. Todas nossas caixas são discretas, temos compromisso com sua privacidade. Por isso, fique à vontade e compre tranquilo.

LEIA TAMBÉM "

Alerta para este carnaval – consumo excessivo de álcool afeta a fertilidade 

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

A carne, porém, inspirou-lhe algo: sexo. Mastigou-a e pensou em Maria Rita. Era gostosa, muito gostosa.

O   PRATO   FEITO*
                                              por Armindo Torres
Ali estava o prato, fumegante, bem à sua frente: arroz, feijão, bife e jiló.

Lá dentro, o estômago reclamava. Estômago de chapa, tão grande quanto a sua ignorância de analfabeto. As paredes flexionavam-se num movimento espasmódico de mar agitado. Os sucos gástricos marolavam-se  num redemoinho de angústia e fome. Esperavam o alimeno para o envolverem e o abraçarem, triturando-o num rito de paixão sádica. Extrairiam dele toda a essência calorífica, distribuindo-a, depois, a todas as partes do corpo.

Corpo quase perfeito. Se-lo-ia, se o perfeito existisse. Uma pirâmide de músculos em membros avantajados.Maravilhosas contrações faziam-se notar ao menor trejeito. A pele que o cobria era parda e, quando exposta ao sol, banhada de suor, brilhava intensamente. Corpo poderoso, matéria destrutível, que dava ao seu dono pretensões imortais. O conjunto de músculos movimentava-se numa dança frenética, quando o senhor daquela plástica descarregava um caminhão. O corpo era a imortalidade daquela alma curta.

Lançou-se ao prato com avidez. As mandíbulas rebolavam sensualmente, estuprando os alimentos. Nem o arroz, nem o feijão, trouxeram-lhe sensibilidade.

Tampouco, o jiló despertou-lhe poesia. A carne, porém, inspirou-lhe algo: sexo. Isto ele entendia demais.  Mastigou-a e pensou em Maria Rita. Era gostosa, muito gostosa. A carne ou Maria Rita? As duas , concluiu satisfeito. A nega confundia-se com a comida. O arroz parecia-se com a voz dela; macia, excitante. O feijão lembrava-lhe os olhos: negros, temperados de luxúria. O jiló...ah, o jiló!... Às vezes, a nega irritava-se . O jiló era a irritação de Maria Rita: forte, mas passageira;  amarga, mas com sabor especial. Talvez a nega ficasse até mais linda quando se irritava, o chapa não sabia. E a carne? A carne era a amante inteira: suculenta, deliciosa!

O barulho de um caminhão que encostava desconcentrou-o. Era hora do pesado. Olhou para o prato. Ainda havia nele um pedaço de Maria Rita. Comeu-o com satisfação sexual. Depois, levantou-se e foi balançando os músculos poderosos até que a bala do marido enganado acabasse com aquela imortalidade mortal.

(do livro de contos ATRÁS DO COPO DE CERVEJA, de Armindo Torres, p 9/10 , Esdeva Empresa Gráfica Ltda, Juiz de Fora, MG, 1978 )